Corpo docente

André Carrara (piano repassador)

Pianista e regente mineiro, nasceu em Ubá, onde iniciou seus estudos musicais. Em 1984 ingressou na Escola Nacional de Música da Ufrj, onde em 1989 concluiu o Bacharelado em  Música (piano), na classe do Prof. Dr. Heitor Alimonda. De 1989 a 1995 passou a se  aperfeiçoar, inicialmente no Brasil e posteriormente na França, com a Profª. Drª. Nise Obino, recebendo, neste período, aulas de  alta interpretação do pianista Nelson Freire. Sob orientação do Prof. Dr. Jacob Herzog, obteve o grau de Mestre em Piano pela Ufrj,  com dissertação sobre a execução integral dos 24 Estudos op. 10 e op. 25 de Frederic Chopin. Em 2010, sob orientação da Profª. Drª Cristina Gerling e Prof. Dr. Ney Fialkow, obteve o título de Doutor em Música, subárea – piano, na Ufrgs, com a tese “Conteúdo emocional e toques pianísticos”. Obteve o reconhecimento do júri em diversos concursos nacionais e internacionais. Gravou em 1997 os 12 Estudos op. 10 de Chopin com excelente repercussão na crítica especializada. Pianista efetivo da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre desde 2004, tem atuado também como camerista,  recitalista e concertista. Leia mais sobre o pianista!

Artur Elias Carneiro (flauta)

Tornou-se 1º flautista da Ospa aos 19 anos. Egresso da Escola de Música da OSPA, graduou-se pelo Instituto de Artes da UFRGS, e aprofundou seus estudos musicais em Stuttgart, Alemanha, onde viveu por quase três anos. Percorre com naturalidade terrenos tão diversos como a música de vanguarda, a música barroca (interpretada com instrumentos de época), e a música popular sul-americana. Camerista nato, fundou diversos ensembles que marcaram a vida musical do RS nos últimos vinte anos: Duo Porto Alegre, Trio Tonus, Duo Diálogos, Collegium Musicum, Capela Instrumentale, Quarteto Instrumental, Ensemble Gnattali, entre outros. Indicado ao Prêmio Açorianos 2005, categoria Melhor Instrumentista. Com apoio do MinC, apresentou-se em turnê com o Ensemble Gnattali na Alemanha e Suíça em 2010. Leia mais sobre o flautista!

Cosmas Grieneisen (viola)

Nasceu em Boston, nos Estados Unidos. Iniciou seu estudo de violino aos sete anos, logo optando pela viola. Após estudos com John Ziarko do New England Conservatory e Longy School of Music, transferiu-se para Porto Alegre em 1991. Aqui estudou viola com Hella Frank no curso bacharelado de música da Ufrgs. Em 1994, foi à Alemanha estudar música na Hochschule für Musik Franz Liszt, em Weimar, na classe de prof. Thomas Wünsch e do prof. Ulrich Beetz. Lá concluiu o curso superior Künstlerische Ausbildung (Bacharelado) em viola. Paralelamente cursou musicologia com especialização em regência, além de participar ativamente em masterclasses e festivais internacionais de música, realizando várias turnês de música de câmara pela Europa e gravações de CD. Integrou várias orquestras na Alemanha como violista titular, foi professor de viola e violino na Comenius Musikschule em Waiblingen/Stuttgart e atuou como regente da orquestra de sopros CVJM Schnait. Desde 2004 exerce o cargo de viola assistente principal da Ospa. Paralelamente, realiza recitais como solista e camerista.

Eder Kinappe (contrabaixo)

Iniciou seus estudos em 1996 com o professor Nilson Prestes. Neste mesmo ano ingressou no curso de contrabaixo da Escola de Música da Ospa – Conservatório Pablo Komlós, onde permaneceu até 1999, sob a orientação de Milton Romay Masciadri. De 2000 a 2004 foi aluno da Ufrgs, graduando-se em contrabaixo na classe de Alexandre Ritter. De 1998 a 2006 atuou como primeiro contrabaixo da Orquestra da UCS, onde também foi professor. Integrou a Orquestra da Unisinos de 2003 a 2005, sob a direção de Roberto Duarte. Como convidado, participou da Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, Orquestra de Câmara Sesi/Fundarte, Orquestra Sinfônica do Sesc, Orquestra de Câmara de Blumenau e Orquestra de Câmara da Ulbra. Foi vencedor, em 2001, do Concurso Jovens Solistas da Ospa. Em 2006, durante dois meses, estudou na University of Georgia com Milton Walter Masciadri, e lá participou do Double Bass Symphosium. Integra a Ospa desde 2006. De 2008 a 2010, foi professor substituto na Ufrgs. Leia mais sobre o contrabaixista! 

Elena Romanov (violino)

Nasceu na Bielorússia. Estudou na Escola de Música de Mogiliov, no período de 1976 a 1984, e concluiu o curso técnico, com especialização em violino, músico de orquestra e ensino. Em 1988, ingressou na Academia de Música de Lunacharskiy, onde se formou em 1994. Elena possui  vasta  experiência  como  violinista  em  conjuntos  camerísticos  e  sinfônicos. Integrou  as seguintes  orquestras: Orquestra Sinfônica de Mogiliov e Orquestra de Câmara de Mogiliov, como  spalla; Orquestra de Ópera da Academia, como concertino; e Orquestra Sinfônica da Bielorússia. Em 1998 transferiu-se para o Brasil para integrar a Amazonas Filarmônica de Manaus, onde permaneceu até 2004, quando mudou-se para o Rio Grande do Sul, passando a integrar a Ospa.

Gabriela Vilanova de Souza (teoria e percepção musical)

Participa da Ospa como violista Tutti desde 2009. Integrou várias orquestras do RS como SESI-Fundarte, Orquestra de Câmara da Ulbra e Osucs. Foi líder de naipe da Orquestra Unisinos e Theatro São Pedro. Iniciou seus estudos de violino com seis anos de idade, dedicando-se posteriormente à viola e obtendo o título de Bacharel pela UFRGS sob a orientação de Hella Frank em 2001. Em 2002, recebeu bolsa da Fundação Vitae para estudar na classe do professor Renato Bandel em São Paulo. Entre seus orientadores estão ainda Miguel Pimienta, no Conservatório Pablo Komlós da Ospa, e Ricardo Kubala. Realizou aperfeiçoamento em performance na Musikakademie Der Stadt Kassel na Alemanha com o professor Zvi Carmeli. Também na Alemanha, participou de concertos com as seguintes orquestras: Kammerakademie Orchester Neuss am Rhein, Staatstheater Giessen, Staatstheater Kassel e Tübinger Kammerorchester. Em 2008 foi bolsista na Orquestra Acadêmica do Festival de Inverno de Campos do Jordão, regida pelo Maestro Kurt Masur. Foi professora de violino e viola no curso de extensão em instrumentos da UFRGS. Lecionou nos projetos Vida com Arte da Unisinos, na classe de viola, e Orquestra Villa-Lobos, como regente da Orquestra de cordas e professora de violino e viola. Participa de grupos de câmara de diversos estilos que vão do choro ao barroco, e atualmente integra a Camerata Pampeana, dedicada à musica instrumental regional. Leia mais sobre a violista!

Gean Veiga (violino)

É bacharel em Música, com habilitação em violino, pela Ufrgs. De novembro de 1997 a agosto de 2004 integrou a Orquestra de Câmara Theatro São Pedro como violinista. De setembro de 2000 a março de 2010 integrou a Orquestra Sesi Fundarte como violinista. De 2009 a 2010 atuou como violinista na Orquestra de Câmara da Ulbra. Participou da Orquestra Unisinos de 2003 a março de 2006 como violista, e, desde 2011, integra a orquestra como violinista e exerce papel de educador no projeto Vida com Arte. Desde  agosto de 2004 integra a Ospa como músico contratado em violino, tendo sido nomeado em cargo efetivo para esta, em setembro de 2006. Atuou no Projeto Prelúdio como professor em 2006 e 2007, e atualmente é professor da escola de Artes do colégio Anchieta.

Israel Oliveira (trompa)

Nasceu em São Paulo. Desde 2004 é primeiro trompa interino da OSPA. Começou seus estudos musicais na Escola Municipal de Música de São Paulo. Em 1995 teve sua carreira orientada pelo professor Ozéas Arantes (Osesp). No mesmo ano passou a integrar a Sinfônica Jovem e Banda Sinfônica Jovem de São Paulo e participou do III Festival de Inverno de Itú. Em 1996 ingressou na Orquestra Experimental de Repertório; em 1997, na Sinfônica de Santo André; e em 1998, participou da Sinfônica de Ribeirão Preto. Nesse mesmo ano participou do Festival de Inverno de Campos do Jordão e venceu o concurso Jovens Solistas da Universidade Livre de Música, onde atuou como solista à frente da Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo. Em 2001 participou do Festival de Poços de Caldas trabalhou na Filarmônica de São Bernardo do Campo, na Sinfônica da Universidade Estadual de São Paulo, naSinfônica de Santos e ainda no musical Les Misérables. Em 2002 integrou a Orquestra de Câmera da Universidade Estadual de São Paulo, atuando no musical O Fantasma da Ópera. Em 2003 participou do projeto “Acadêmia”, da Sinfônica da Universidade de São Paulo.

Viktoria Tatour (oboé)

Graduou-se em Licenciatura Plena do Ensino Musical pelo Conservatório Nacional da Bielorrússia, em 1991. Tornou-se mestre pela Academia de Música da Bielorrússia em 1993. Especializou-se em desempenho instrumental na fundação Musique Espérance da Unesco com Pierre Pierlot, professor do Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, em 1996. Foi laureada com o primeiro prêmio (oboé) do concurso internacional de instrumentistas de sopros de madeira em Minsk nas edições de 1991 e 1994. Atuou como professora da cátedra de instrumentos de sopro de madeira da Academia de Música da Bielorrússia de 1991 a 1997. Foi oboísta da Nacional Orquestra de Câmara, Orquestra Nacional de Rádio e TV e Orquestra Sinfônica do Estado da Bielorrússia. Como solista, apresentou-se em palcos da Rússia, Lituânia, Polônia, França, Itália e Canadá. Chegou ao Brasil em 1997, estabelecendo-se primeiramente na cidade de Manaus, onde foi o oboé principal da Orquestra Amazonas Filarmônica e professora do Centro Cultural Claudio Santoro. Em 2004 mudou-se para Porto Alegre, onde trabalha como o primeiro oboé da Ospa e tem atuado como convidada em outras orquestras. Leia mais sobre a oboísta! 

José Milton Vieira: ganhador do primeiro prêmio e do prêmio do público no prestigiado Concurso Internacional “Città di Porcia” (Itália-2015), vem se destacando como um grande nome da nova geração do trombone brasileiro. Venceu certames como o “Lewis Van Haney Philharmonic Prize” (Paris, 2012) e o Pré–Estreia (TV Cultura-SP, 2011). Recebeu o Special Prize pela melhor interpretação da peça comissionada para trombone do 64º Internationaler Musikwettbewerb der ARD (Alemanha, 2015). Especializou-se na Julliard Music School. É Trombone Solo da Ospa.

Mauro Luiz Rech (violino): Natural de Santa Cruz do Sul, iniciou seus estudos de violino aos sete anos com seu pai, Lindolfo Rech, posteriormente  foi aluno do professor Marcello Guerchfeld, professor do Instituto de Artes da Universidade Federal do RS. Também estudou sob a orientação dos professores Juan Carlo Figares (Uruguai), Humberto Carfi (Argentina), e Saschko Gawriloff (Alemanha). Em 1973, aos 19 anos, Ingressou na Ospa, onde integra o naipe dos primeiros violinos. Aos 23 anos foi vencedor do primeiro Concurso Nacional de Música de Câmara de Piracicaba/SP, executando obras de Paganini e Kreutzer. Desde  1982 é professor da classe de violino  da Escola de Música da Ospa. Participou como músico convidado da Orquestra de Câmara da OSPA, Orquestra de Câmara Sesi/Fundarte, Orquestra Sinfônica do SESC, Orquestra sinfônica de Caxias do Sul, Orquestra Unisinos e foi integrante da Orquestra Filarmônica da PUC/RS, onde atuou também como Spalla, e com a qual participou da gravação de vários CDs.

Risomá Cordeiro Lopes (teoria e percepção)

Rodrigo Alquati (violoncelo)

Nascido em Caxias do Sul, estudou de 1993 a 1997 na Ufrgs, onde obteve o diploma de bacharel em Música, com habilitação em violoncelo. Aperfeiçoou-se de 1997 a 2000 com o prof. Martin Ostertag em Karlsruhe, na Alemanha. Obteve dois Prêmios Açorianos de Música, tendo sido eleito melhor instrumentista erudito de 2002 e melhor grupo erudito (música de câmara), obtido com o Musitrio. Em 1994 ganhou o 1º lugar no Concurso de Música de Câmara da Faculdade Santa Marcelina em São Paulo, ao integrar o Quinteto Scarlatti. Foi primeiro violoncelo das principais orquestras do Estado do Rio Grande do Sul. Gravou um CD com as sonatas de Brahms para violoncelo e piano, e outro, ao vivo, com obras de Schumann, Beethoven e Shostakovich. Como integrante do Musitrio, gravou o CD “Kinematic”. Lançou também o CD “Cantilena”, com obras arranjadas para cello e violão, com acompanhamento de Daniel Wolff. Leia mais sobre o violoncelista!

Samuel Rodrigues de Oliveira (clarinete)

Iniciou seus estudos de música aos nove anos de idade. Concluiu o Curso Técnico em Música e o Bacharelado em Música pela Escola de Música da Universidade Federal de Goiás. Tem participado de masterclasses e cursos de música, nos quais teve aulas com Wenzel Fuchs, Michel Arrignon, Alois Brandhofer, François Benda, Andre Kerver, Garrick Zoeter, Maurita Meed, D. Ray McClellan, Elza Ludewig-Verdehr, José Botelho, Mauricio Loureiro e Jorge Levin, entre outros. Frequentou curso de aperfeiçoamento como bolsista da Fundação Vitae na Academia de Música Ferenc Liszt de Budapeste, tendo aulas com Kovács Béla e Sótmari Zsolt. Foi vencedor do Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil em Piracicaba e do Concurso Jovens Solistas Cidade de Goiânia, além de ter sido finalista do Prêmio Weril. Como integrante da Jeunesses Musicales World Orchestra, participou da turnê europeia que incluiu concertos em espaços como a sala da Berlin Philarmonie, Essen Philarmonie e Palau de la Musica de Valencia. Como compositor, tem escrito obras para clarineta solo, clarone solo e outras formações como duos, trios, quartetos e quintetos. Desde 2006 ocupa o cargo de primeiro clarinete da Ospa e participa de grupos de música de câmara. Atualmente, está cursando mestrado Execução Musical na Universidade Federal da Bahia. Leia mais sobre o clarinetista!

Siarhei Faminou (fagote)

Estudou no Colégio de Música da República da Bielorrússia, em Vitebsk, e na Academia de Música da República da Bielorrússia, em Minsk, onde recebeu a qualificação de solista de orquestra, professor e regente da banda. Em 2011, frequentou Curso Educação Musical no Ensino Fundamental e Médio. Atuou como primeiro fagote no Teatro de Comédia Musical da República da Bielorrússia e como segundo fagote na Nacional Orquestra Sinfônica da República da Bielorrússia e na Orquestra Amazonas Filarmônica de Manaus. Foi professor de fagote no Centro Cultural Cláudio Santoro em Manaus e na Universidade do Estado do Amazonas. Entre 2004 e 2011, exerceu a função de primeiro fagote da Orquestra Filarmônica da PUCRS e, desde 2004, é fagotista da Ospa.

 

Tiago Linck (trompete)

Detentor de importantes prêmios nacionais e internacionais, Tiago Linck é um dos mais promissores trompetistas brasileiros. Iniciou-se na música em 1994 orientado pelo Maestro Sérgio Maslinkiewicz na Banda Musical do Colégio Cenecista Nossa Senhora dos Anjos (Gravataí – RS), onde estudou percussão e trompete. Em 1999 foi admitido na Escola de Música da Ospa. De 2002 a 2005 estudou com Evandro Matté no projeto ‘Sinos Acorda’, promovido pela Unisinos. Em 2012, formou-se em trompete pelo Conservatoire à Rayonnement Régional de Nice (FRA), tendo recebido em seu exame final as mais altas distinções oferecidas por essa instituição (mention très bien à l’unanimité et félicitations du jury). Já se apresentou nas principais salas de concerto do Brasil e em países como Alemanha, Argentina, Colômbia, França, Uruguai e Venezuela. Em 2005 foi selecionado para integrar a Youth Orchestra of the Americas, realizando com este grupo concertos em diversos países da América do Sul. é membro fundador do Quinteto Porto Alegre, professor de trompete da Escola de Música da Ospa e, desde 2009, integra a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre como Trompete Solista. Leia mais sobre o trompetista!

Wilthon Matos (tuba)

Iniciou seus estudos musicais aos treze anos, com o professor Josiel Saldanha, em uma das igrejas evangélicas da Assembleia de Deus em Belém. No ano seguinte, integrou a Banda de Música da Universidade Federal do Pará, sob a regência do professor Biraelson Corrêa. Já em 1995 ingressou no Conservatório Carlos Gomes, na classe do professor Ricardo Cabrera (Colômbia). No ano 2000, ingressou no Bacharelado em Música, com habilitação em tuba, da Universidade Estadual do Pará. De 1998 até 2008, foi tubista da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz e da Amazônia Jazz Band. Em 1999, participou dos Novos Talentos Brasileiros no Rio de Janeiro, pela Orquestra Sinfônica Brasileira, obtendo o Prêmio Revelação, Melhor Jovem Tubista Brasileiro e ficando em quarto lugar no concurso. Foi professor de tuba e euphonium do Instituto Estadual Carlos Gomes no período de março de 2001 até setembro de 2008. Em março de 2004 foi aprovado no concurso da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro em primeiro lugar para a vaga de tuba. Em abril de 2006 foi aprovado em segundo lugar no concurso da Ospa, onde atualmente é tubista solista. Leia mais sobre o tubista!

Arthur Barbosa (regente da Ospa Jovem e da OSEO)

Violinista de formação e membro da Ospa desde 1998, Arthur Barbosa começou a estudar composição muito cedo. Em 1986 teve sua primeira aula de regência com o maestro Eleazar de Carvalho. A partir de 1999 começou a estudar regência regularmente, e desde então trabalha regendo suas obras e criações para teatro e dança além de repertório tradicional de orquestra em diversos lugares do mundo.
Suas composições têm sido bem recebidas pela crítica em mais de 15 países e executadas por orquestras como Camerata Bern (Suíça), Klagenfurt Symphony (Áustria), Sinfônica de Porto Alegre (Brasil), Sinfônica de Mendoza (Argentina), Sinfônica de Córdoba (Argentina), Southern Mississipi Symphony (USA), Symphony of the Américas (Flórida-USA), de Câmara da Ulbra (RS), Sinfônica Nacional (Brasília), entre outras.
A partir de 2003 passou a ocupar o cargo de Compositor Residente do festival Música nas Montanhas (MG), e desde 2010, ocupa o mesmo cargo no Festival Música no Pampa (RS), tendo assim a oportunidade de estrear obras de sua autoria todos os anos.
Ganhou o Açorianos 2005 e 2010 de melhor trilha sonora em dança e teatro, e o mesmo prêmio na categoria de melhor CD pelo seu trabalho com Orquestra de Câmara da Ulbra. Teve seu CD autoral “Concerto Incidental” como um dos selecionados para o 23º Prêmio da Música Brasileira. Em novembro de 2005 teve sua obra Sinfonia Brasileira estreada mundialmente nos Estados Unidos com a orquestra Symphony of the Americas, e em novembro de 2007 teve outra estreia mundial nos EUA, desta vez com seu concerto para violino e orquestra.
Em seu catálogo de composições acadêmicas constam sinfonias, concertos, aberturas, poemas sinfônicos, trios, quartetos e peças para cordas, sopros, entre outras.
Desde fevereiro de 2012 é Regente Titular da Orquestra Eleazar de Carvalho em Fortaleza. Leia mais sobre o maestro e violinista!

Tiago Barcellos (percussão)

5 comentários em “Corpo docente”

  1. Leandro Schaefer disse:

    Que bela equipe! Parabéns a todos! Sucesso!

  2. Farizeu Ueziraf disse:

    Gostei de saber um pouco sobre a equipe, meu afilhado está inscrito para este ano e estou corujando o site de quinze em quinze minutos para ver se foi selecionado. Abraços.

  3. Diego Adam disse:

    Parabéns a Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre pelo exímio corpo docente da Escola de Música da OSPA. Bravo!!!

  4. sandro wasem disse:

    Parabéns pela escolha, espero que façam um bom trabalho

  5. Kelly Nathani disse:

    Parabéns pela equipe, gostei muito de saber um pouco de cada um de voces.Obrigada! :)

Comente