Soprano japonesa é solista do 12º Concerto Oficial da Ospa

São japoneses os convidados do próximo concerto da Ospa: a soprano Sara Kobayashi e o maestro Kiyotaka Teraoka. Mas o repertório é vienense, com destaque para a “Sinfonia nº 4″, de Mahler.

 

A Orquestra Sinfônica de Porto Alegre apresenta na próxima terça-feira, dia 24 de julho, o seu 12º Concerto Oficial da Temporada 2012. O espetáculo começa às 20h30, no Salão de Atos da Ufrgs. Desta vez, os convidados são os japoneses Sara Kobayashi (soprano) e Kiyotaka Teraoka (maestro). Os dois estão hoje radicados em Viena, de onde vem o repertório deste concerto: a “Sinfonia nº 4″, de Gustav Mahler, e o “Intermezzo”, instrumental, da ópera “Notre Dame”, de Franz Schmidt.

As duas peças que compõem o programa do 12º Concerto Oficial da Ospa nasceram em Viena e datam dos primeiros anos do século XX. A “Sinfonia nº 4″, de Gustav Mahler (1860-1911), foi composta em 1901, no período de maior prestígio da trajetória do compositor. É no último movimento da obra de Mahler que a cantora Sara Kobayashi entrará em cena, interpretando uma canção folclórica bávara chamada “O céu está cheio de violinos”, que Mahler retirou da coleção “Des Knaben Wunderhorn”, na qual os poetas e escritores alemães Achim von Arnim e Clemens Brentano reuniram canções populares, da Idade Média até o século XVIII.

Curiosamente, a ópera “Notre Dame”, de Franz Schmidt (1874-1939), foi criada entre 1904 e 1906, quando o compositor atuava como violoncelista da Ópera de Viena, sendo muitas vezes regido por Gustav Mahler. Mas a parte orquestral da obra, incluindo o famoso “Intermezzo”, foi composta antes, sendo estreada ainda em 1903, com o nome “Interlúdio de uma ópera romântica incompleta”. Schmidt, a princípio, não tinha o objetivo de compor uma ópera. A parte vocal, com libreto do próprio compositor, em parceria com Leopold Wilk e baseado em “O Corcunda de Notre Dame”, de Victor Hugo, só veio mais tarde, e teve sua estreia em 1914.

Os ingressos para o concerto custam R$ 20 e estarão à venda a partir de segunda-feira (23 de julho), das 11h às 18h, e na terça-feira (das 11h até o horário do espetáculo), na bilheteria do Salão de Atos da Ufrgs (Av. Paulo Gama, 110). Estudantes, maiores de 60 anos e sócios do Clube do Assinante ZH têm 50% de desconto.

 

Sara Kobayashi, soprano

Ela é graduada e pós-graduada pela Universidade de Artes de Tóquio, cidade onde nasceu. Em 2010, mudou-se para Viena para seguir se aperfeiçoando musicalmente. Neste mesmo ano, recebeu bolsa de estudos da Fundação Nomura e, no ano seguinte, participou do Programa de Residência para Artistas Emergentes da Agência de Assuntos Culturais do Japão. Antes de se tornar cantora, ela estudou piano, balé e dança clássica japonesa. A atração pelos palcos fez com que ela decidisse se dedicar seriamente ao estudo da voz aos dezessete anos. Sara tem se apresentado com orquestras como a Moravian Philharmonic Olomouc, a NHK Symphony Orchestra, a New Japan Philharmonic, a Tokyo Symphony Orchestra e a Orchestra Ensemble Kanagawa. Deu início à sua carreira internacional em fevereiro de 2012, estreando no Teatro Nacional em Sófia, na Bulgária, como Lauretta em na ópera “Gianni Schicchi”, de Giacomo Puccini. Em março, ela voltou ao mesmo teatro como Andina em “L’elisir d’amore”, de Gaetano Donizetti.

 

Kiyotaka Teraoka, maestro

Atual maestro da Orquestra Sinfônica de Osaka, Kiyotaka Teraoka começou sua formação ao piano com sete anos de idade. Graduado pela Universidade de Waseda em Tóquio, estudou contrabaixo no Toho Gauken Music Academy, na mesma cidade. Pouco tempo depois, começou a ter aulas de regência na Vienna Music Academy, onde foi aluno de Karl Österreicher e Uros Lajovic. Em 1995, foi selecionado para participar da Accademia Musicale Chigiana, em Siena, onde estudou por muito tempo com Myung-Whung Chung, Yurij Temirkanov, Ilija Musin e Gianluigi Gelmetti. Em 1997, foi escolhido como o melhor dos 37 participantes no curso e passou a trabalhar como assistente de Gianluigi Gelmetti, em Munique (Munich Philharmonic), Londres (Covent Garden) e Roma (Santa Cecília). Em 2000, foi vencedor do Concurso Internacional de Regência de Dimitri Mitropolos, em Atenas, na Grécia. A partir de então, tem regido orquestras de diversos países, como a Filarmônica de São Petersburgo, a Orquestra da Câmara de Moscou, a Orquestra do Teatro La Fenice de Veneza, a Orquestra di Roma e del Lazio e a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

 

A OSPA é uma das fundações vinculadas à Secretaria de Estado da Cultura. Os concertos da Temporada 2012 são patrocinados pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, Vonpar, Ipiranga, Gerdau, Souza Cruz e Brasília Guaíba. A realização é da OSPA, Fundação Cultural Pablo Komlós e Secretaria de Estado da Cultura – Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

SERVIÇO

O que: 12º Concerto Oficial da Ospa

Quando: Terça-feira, dia 24 de julho, às 20h30

Onde: Salão de Atos da Ufrgs - Av. Paulo Gama, 110

Ingressos: À venda a partir de segunda-feira (23 de julho), das 11h às 18h, e na terça-feira (24 de julho), das 11h até o horário do espetáculo, na bilheteria do Salão de Atos da Ufrgs

Valores:

Público em geral: R$ 20

Estudantes, maiores de 60 anos e sócios do Clube do Assinante ZH: R$ 10

(Estudantes, funcionários e professores da Ufrgs podem retirar ingressos de cortesia na recepção do Salão de Atos a partir da quinta-feira que antecede o espetáculo. A cota é limitada, e a distribuição é feita por ordem de chegada.)

Programa

Franz Schmidt: Notre Dame – Intermezzo

Gustav Mahler: Sinfonia n°4

Solista: Sara Kobayashi (soprano)
Regente: Kiyotaka Teraoka

Comente